Palazzo Vecchio

O Palazzo Vecchio é o símbolo da cidade de Florença juntamente com Santa Maria del Fiore e o David de Miguel Ângelo e foi sempre a sede do Governo da cidade.

Palazzo Vecchio e David. Foto de jessica@flickr
Palazzo Vecchio e David. Foto de jessica@flickr

História do edifício

O Palazzo Vecchio foi construído no século treze e teve várias denominações ao longo da sua história: Palazzo dei Priori, Palazzo della Signoria, Palazzo Vecchio.

Foi inicialmente concebido para acomodar os priores e os Gonfanoleiros de Justiça (Gonfaloniere di Giustizia), o corpo governativo supremo de Florença, mais tarde acomodados no Palazzo del Bargello.

Foi erigido sobre as ruínas de um palácio que havia pertencido à família Gibelino Uberti, expulsa da cidade em 1266 devido a questões políticas, situação referida por Dante Alighieri na sua Divina Comédia.

O conflito histórico entre Guelfos e Gibelinos que inflamou a política florentina no tempo de Dante, também está presente alguns elementos arquiteturais do edifício: a galeria tem um parapeito em forma de quadrado definido como “Guelfo” e a torre tem um parapeito articulado denominada “Gibelino”.

A magnificência do edifício, tipicamente medieval, deve-se em grande parte ao design de Arnolfo di Cambio.
A riqueza do interior deve-se ao génio de Giorgio Vasari que também concebeu o Salone dei Cinquecento, o Studiolo de Francesco I, os aposentos de Eleonora e os aposentos dos elementos (Quartiere degli Elementi).

O Palazzo Vecchio foi construído tendo por base o estilo de arquitetura civil da época e com a sua simplicidade e força encarna os ideais de liberdade da itália comunal.

A atual aparência do Palazzo Vecchio resulta de muitas alterações complexas que sucederam ao longo dos séculos.
A torre está descentralizada porque o projeto aproveitou uma torre que existia anteriormente.

As fundações assentam num antigo teatro romano com escavações ainda não concluídas e que ainda revelam segredos inesperados: entre outras coisas, foram encontrados vestígios de um jovem recentemente.

Sendo o centro do poder em Florença, o Palazzo Vecchio assumiu diferentes funções dependendo do período histórico e político.

Em meados do século dezasseis foi residência de Cosimo I de Médici que com o auxílio de artistas como Vasari e Buontalenti, expandiu o edifício duplicando o seu tamanho.

Quando o Princípe Cosimo I mudou a sua residência para o novo Palácio Pitti, o Palazzo della Signoria (denominado desta forma por estar localizado na Piazza della Signoria) alterou o seu nome para Palazzo Vecchio (palácio velho).

Florença foi a capital de Itália entre 1865 e 1871 e o Palazzo Vecchio tornou-se a sede do Governo.
Atualmente o Palazzo Vecchio é a sede da Prefeitura de Florença e um maravilhoso museu.
Cada sala do Palazzo Vecchio é rica em história e segredos, alguns dos quais ainda não desvendados.

Palazzo Vecchio. Foto de TuscanyArts
Palazzo Vecchio. Foto de TuscanyArts

O Salone dei Cinquecento

O magnífico Salone dei Cinquecento foi encomendado por Girolamo Savonarola no curto período em que deteve o poder em Florença antes de ser executado como herético em 1498 na Piazza della Signoria.

Uma das mais importantes disputas artísticas da história decorreu em 1504 no Salone dei Cinquecento: Leonardo da Vinci e Miguel Ângelo Buonarroti foram convocados a pintar a Sala do Concelho com cenas de duas batalhas chave da história da República Florentina, a Batalha de Anghiari (La Battaglia di Anghiari) e a Batalha de Cascina (La Bataglia di Cascina).

O resultado artístico foi limitado: Leonardo pintou um fresco lindíssimo mas muito delicado devido à técnica experimental utilizada e Miguel Ângelo nunca concretizou o trabalho. As únicas provas que permanecem da existência das duas obras primas são os desenhos preparatórios e relatos da época que contam a história de uma batalha entre dois gigantes da renascença italiana.

A aparência atual do Salone dei Cinquecento remonta ao Grão-Duque Cosimo I que encomendou a decoração a Vasari.
Acreditava-se até há pouco tempo que sob os frescos de Vasari estava escondida a obra-prima de Leonardo mas muitos peritos e historiadores de arte descartaram categoricamente esta possibilidade.

Os maravilhosos frescos que decoram o teto artesoado bem como as decorações do hall, são ricas em símbolos e referências religiosas que pretendiam exaltar a grandiosidade de Cosimo I e o poder dos Médici.
Algumas das obras-primas presentes nesta sala são o Génio da Vitória (Genio della Vittoria) de Miguel Ângelo e o famoso ciclo Os Trabalhos de Hércules (Fatiche di Ercole).

Museu do Palazzo Vecchio

O Palazzo Vecchio é um magnífico museu logo desde a entrada. Na frente da fachada destacam-se pela sua beleza as estátuas de Marzocco e uma cópia da Judite e de Holofernes (o original encontra-se no Museu Nacional do Bargello), ambos obras-primas de Donatello.

A cópia do David de Miguel Ângelo que guarda o edifício desde 1504 – o original encontra-se na Galeria da Academia – representa a inteligência e a força das instituições municipais para superar a tirania.
O conjunto de brasões na fachada é um testemunho único da Florença Medieval e o seu equilíbrio de poder, traduzido em símbolos e referências.

A Torre di Arnolfo data de 1310 e esconde um compartimento utilizado como local de cativeiro de Cosimo, o Velho, condenado ao exílio, e Savonarola, condenado à morte em 1498.

Um dos três sinos da torre, afetuosamente apelidada de Martinella, é muito caro aos florentinos porque sempre teve a função de chamar os cidadãos para as assembleias.

As paredes do Palazzo Vecchio são ricas em inscrições e placas, algumas com indicações triviais de cidadania, tal como aquela que proibe o uso de água da Fontana del Biancone (Fonte de Netuno).

O mais curiosos destes registos é atribuído tradicionalmente a Miguel Ângelo e é a face esculpida de um homem condenado à morte numa das muitas execuções que ocorreram na Piazza della Signoria.

O Palazzo Vecchio tem várias entradas incluindo a Porta della Tramontana (North Wind Gate), a Porta della Dogana (Customs Gate) e a Porticciola (Semall Gate), ligada a uma escadaria secreta e construída pelo Duque de Atenas para garantir um ponto de fuga nos turbulentos anos da sua governação.

No pátio encontramos símbolos pintados das corporações de Florença e uma fonte com uma estátua de um pequeno anjo com um golfinho (Putto com Delfino) de Andrea del Verrocchio.

Outros dois pátios existentes são o Cortile della Dogana que alberga a bilheteria do Museu, e o Pátio Novo construído por Bartolomeo Ammannati.

O Studiolo de Francesco I é a obra-prima de Vasari localizada no primeiro andar do edifício. Está enfeitada com obras de arte de Ammannati e Giambologna: o Grão-Duque manteve todas as que o intrigavam e outros objetos mais privados.

As outras magníficas salas do museu têm o nome dos Senhores e Senhoras nobres que fizeram a grandeza da Casa de Médici eo longo dos séculos: Papa Leão X, Cosimo o Velho, Lorenzo o Magnífico, Cosimo I, Giovanni dalle Bande Nere, o único líder de soldados mercenários da família Médici, e o Papa Clemente VII.

A Capela da Signoria (Cappella dei Priori) é sobretudo conhecida por ter aceite Fra Savonarola para oração por um momento antes de ser queimado vivo na fogueira na Piazza della Signoria.

A Sala da Audiência e a Sala dos Lírios estão ricamente decorados com obras de Benedetto da Majano, Ghirlandaio e portas de madeira com imagens de Dante Alighieri e Petrarca.

O Palazzo Vecchio também alberga a máscara de morte de Dante.
A Sala dos Mapas Geográficos era o local onde os Médici guadavam os seus bens mais valiosos e hoje guarda maravilhosos mapas geográficos e um famoso globo.

A Vecchia Cancelleria (Velha Chancelaria) ficou conhecida por albergar Niccolò Machiavelli enquanto foi Secretário da República florentina.
O piso térreo alberga agora a coleção Loeser.

Palazzo Vecchio
Palazzo Vecchio

Morada do museu: Piazza della Signoria – Florença, Itália

Horário de funcionamento:
Abril/ Maio/ Junho/ Julho/ Agosto Setembro
Todos os dias exceto Quintas-feiras: 09:00 – 00:00
Incluindo 25 de Abril, 1 de Maio, 2 de Junho, 24 de Junho e 15 de Agosto
Sábados: 09:00 – 14:00

Outubro
Todos os dias exceto Quintas-feiras: 09:00 – 19:00
Quinta-feira: 09:00 – 14:00
13, 28, 29, 30, 31 de Outubro: 09:00 – 00.00

Novembro
Todos os dias exceto Quintas-feiras: 09:00 – 19:00
Quinta-feira: 09:00 – 14:00
1, 2, 3, 10 de Novembro: 09:00 – 00:00

Dezembro
Todos os dias exceto Quintas-feiras: 09:00 – 19:00
Quinta-feira: 09:00 – 14:00
7 e 8 Dezembro: 09:00 – 00.00
22, 23, 26, 27, 28, 29, 30 Dezembro: 09:00 – 00:00
25 de Dezembro: Encerrado

Mezanino (Coleção Loeser)
Todos os dias exceto Quintas-feiras: 09:00 – 19:00
Quinta-feira: 09:00 – 14:00

Torre de Arnolfo
1 de Abril a 30 de Setembro
Todos os dias exceto Quintas-feiras: 09:00 – 21:00
Quinta-feira: 09:00 – 14:00

1 de Outubro a 31 de Março

Todos os dias exceto Quintas-feiras: 09:00 – 17:00
Quinta-feira: 09:00 – 14:00

O acesso à torre não é permitido a crianças com idade inferior a 6 anos e estará suspensa se chover.

Bilhetes:
Preço Normal: €6,50
Preço Reduzido: €4,50 (Jovens entre os 18 e os 25 anos, estudantes e idosos com mais de 65 anos)
Gratuito: Jovens com menos de 18 anos, pessoas com deficiência e seus acompanhantes, guias turísticos e professores inseridos em grupos escolares devidamente autorizados.

Torre: €6,50
Museu e Torre: €10,00
Tower: 6,50 €
Museum & Tower: 10,00 €

O preço dos bilhetes pode alterar-se no decorrer de eventos especiais ou exposições temáticas.

Visitas guiadas

Visitas guiadas de Palazzo Vecchio oferecidas por GetYourGuide.