Palácio Pitti

O Palácio Pitti foi concebido por Luca Pitti com o propósito de desafiar a odiada família Médici e era, na época em que foi construído por volta de 1440, a maior e mais impressionante residência privada da cidade de Florença.

De acordo com indicações de Giorgio Vasari, a forma arquitetónica do edíficio teria sido realizada por Filippo Brunelleschi embora esta hipótese não possua uma base de evidência histórica. De acordo com a versão oficial, Luca Fancelli, um colaborador de Brunelleschi, teria sido o aqruiteto do Palácio Pitti.

O edificío é de extrema elegância e na parte frontal está embelezado com uma praça de grandes dimensões, uma tremenda inovação na arquitetura residencial daquela época.

Palácio Pitti. Foto de interbeat
Palácio Pitti. Foto de interbeat

Contudo, a ânsia de competir com a família Médici e o infeliz destino político de Luca Pitti, conduziram a família Pitti à falência e consequente interrupção dos trabalhos de construção do Palácio Pitti no decorrer do ano de 1464.

Eleonora de Toledo, esposa de Cosimo I de Médici, comprou o edifício em 1550 para ter uma residência alternativa num bairro mais saudável do que a área do Palazzo Vecchio onde se fixava frequentemente.

Esta mudança provocou uma drástica transformação no bairro de Oltrarno e o Palácio Pitti tornou-se a residência oficial da família Médici, Grão-Duques da Toscânia.

O palácio foi sujeito a expansões e modificações várias sendo que as mais significativas foram efetuadas por Bartolomeo Ammannati que também realizou alterações nos jardins Boboli e construiu o magnífico pátio interior com uma escadaria monumental que tanto furor fez nas cortes europeias.

Giorgio Vasari construiu o famosos corredor Vasari que liga ainda hoje o Palácio Pitti ao Palazzo Vecchio através da Galleria degli Uffizi.

Após a extinção da família Médici, o Palácio Pitti tornou-se residência da família Lorena, os novos Grão-Duques da Toscânia e mais tarde da família Sabóia até 1871.

No início do século dezanove o Palácio Pitti foi também a residência da família Bourbon-Parma e depois de Elisa Bonaparte que governou a Toscânia por um curto período de tempo.

Hoje em dia o Palácio Pitti é um exemplo da inovadora arquitetura renascentista  com as suas salas ricamente decoradas e belíssimos Jardins Boboli, albergando ainda vários museus de grande relevância: A Galeria Palatina, o Museu da Prata, o Museu do Traje, o Museu da Porcelana, a Galeria de Arte Moderna, os Aposentos Reais e a recentemente adquirida Coleção Contini-Bonacossi.

Os Jardins Boboli podem ser considerados como um autêntico museu ao ar livre: Trata-se de um dos mais importantes exemplos de jardins italianos no mundo apresentando um número excecional de valiosas esculturas clássicas e edifícios como a Kaffeehaus, a  Limonaiae e o Casino del Cavaliere, que alberga atualmente o Museu da Porcelana.

Os jardins estão interligados ao Forte Belvedere, uma fortaleza que pertencia à família Médici.

As obras presentes nos Jardins Boboli foram encomendadas por Eleonora de Toledo a Niccolò Tribolo que já havia concebido o magnífico parque do Villa Castello Médici.

Boboli. Foto de collectmoments
Boboli. Foto de collectmoments

Morada do museu: Piazza de’ Pitti 1, Florença, Itália

Bilhetes:

O Bilhete de 3 dias inclui visitas à Galeria Palatina, ao Museu da Prata, à Galeria de Arte Moderna, aos Jardins Boboli, aos Jardins Bardini, ao Museu do Traje e ao Museu da Porcelana.

Preço Normal: €11,50

Preço Reduzido: €5,75

Entradas após as 16:00: €9,00, reduzido€ 4,50

Gratuito: Crianças com menos de 6 anos, pessoas com deficiência e seus acompanhantes, guias turísticos e professores inseridos em grupos escolares devidamente autorizados.

Se em algum dos Museus Pitti decorrer alguma exposição, os bilhetes de 3 dias são suspensos.

Visitas guiadas

Visitas guiadas ao Palácio Pitti oferecidas por GetYourGuide.